quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

A pedreira e a catedral

O que vivi dá-me a convicção de que o meu reino não é deste mundo. Tenho a impressão de ter ouvido falar de uma pedreira de mármore maravilhosa. Vou lá e vejo pedras partidas, inutilizáveis. É realmente na pedreira que se prepara o material, mas não é aqui que construímos a catedral. Ela é edificada noutro sítio. Estou convencido de que vivemos num esboço contante.

Abbé Pierre, 1989

6 comentários:

Peter disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Peter disse...

Bela “metáfora” Jorge!

A busca nessa “pedreira” que é a PALAVRA que dá esse "mármore" precioso onde tantos andam a “esculpir-recolher” as "pedras" que cobrirão os solos dos caminhos da Fé que os levarão mais perto de Deus…esses tantos santos que já viveram entre nós como Abbé Pierre! (bom, ainda espera na prateleira a análise para ser vestido dessa capa engendrada nos teares das canonizações).. mas eu considero santo como afinal somos todos ntambém nós os ainda vivos,como diz Paulo:

”À igreja de Deus que está em Corinto, aos santificados em Cristo Jesus, chamados santos, com todos os que em todo o lugar invocam o nome de nosso Senhor Jesus Cristo, Senhor deles e nosso” 1 Coríntios 1,2

As doutrinas dos homens só permitem santos depois.. vá-se lá entender tal absurdo! E mesmo sendo santos, não estamos imunes à nossa fragilidade humana que abriga tantas vezes o erro! O que não entendo é porque teimamos tanto em “esconder” ou “negar” aquilo que é óbvio, que é a nossa fragilidade e limitação humana como certamente teria Abbé Pierre!

Bem haja pelo tesouro deste post, a si e ao Abbé Pierre!

Peter disse...

Bom, outros dirão que essa “pedreira maravilhosa” é a teologia com as tais “pedras partidas”! Mas não creio que seja muito claro tal coisa, porque acolher pedras partidas para construir muros ainda vá que não vá…. mas admitir “pedras inutilizáveis” em teologias que se afirmam infalíveis é milagre que ainda está para acontecer nessa suspensão da ordem natural das coisas! Ele até há por aí uns mercados onde se vendem uns milagres a bom “preço”, mas não acredito que alguém vá matar a sua “galinha de ovos de ouro” para a vender ou trocar por outros produtos nesses “mercados da fé” que por aí abundam…!

Anónimo disse...

Peter, Peter: ninguém acha que o Peter é um pedreiro, mas pelos vistos o Peter acha que quem estudou teologia de laboratório o é. Não projecte nos demais o que você pensa. Ok?

Anónimo disse...

Liberdade, igualdade, fraternidade? Sabedoria, força, beleza?

Anónimo disse...

Liberdade, igualdade, fraternidade? Sabedoria, força, beleza?

Os dois maiores erros da história de Portugal

António Rendas, reitor da Universidade Nova (de partida) e durante dez anos reitor dos reitores portugueses, diz que "expulsar os judeu...