domingo, 23 de dezembro de 2012

A inclinação de Deus


Num texto sobre o Cardeal Martini, no "Corriere dela Sera" (em português aqui), o escritor Claudio Magris diz a certa altura que

 A ética não é uma sondagem estatística dos costumes que prevalecem naquele momento.

E escreve ainda que

Assim como o indivíduo, a Igreja também deve aceitar os desafios do tempo, justamente porque o cristianismo é a fé que mais se inclinou, inclinando-se Deus também, na historicidade e na precariedade do tempo.

Esta última frase tem tudo a ver com o Natal, essa inclinação máxima de Deus.

2 comentários:

Anónimo disse...

Sem dúvida. Mas inclinou-se não para aí ficar, mas para elevar.

Jorge Pires Ferreira disse...

Com certeza que sim, para elevar. Mas a inclinação é admirável e quer dizer que isto cá deste lado é digno do Filho de Deus. Obrigado pelo comentário.

Os dois maiores erros da história de Portugal

António Rendas, reitor da Universidade Nova (de partida) e durante dez anos reitor dos reitores portugueses, diz que "expulsar os judeu...