domingo, 18 de novembro de 2012

Mais Martins Júnior

A propósito do texto de Anselmo Borges de ontem, "Um padre polémico", que gerou alguns comentários neste blogue, recupero a entrevista de o "Diário de Notícias da Madeira" fez ao padre José Martins Júnior no dia 12 de agosto de 2012, uns dias antes de o padre completar a bodas de ouro sacerdotais. Também pode ser lida aqui.




7 comentários:

Anónimo disse...

Só gostava de ter a oportunidade de um dia poder abraçar forte este Irmão na Fé… felizmente para bem da Igreja, não é o único na Seara do Pai… há muitos outros como dizia Fernando d'Costa no seu comentário ao post anterior.

Sobre este post agora, o meu último comentário no post anterior escreve aquilo que hoje também aqui diria sobre o mesmo tema e que agora nos chega mais detalhado com exemplos muito claros que não precisam de explicação, só não percebe e não vê quem ver…

Obrigado Jorge por este seu espaço aberto a todos, e por esclarecer agora melhor o tema com estes detalhes mais completos!

Um bom Domingo…

vp

Anónimo disse...

Errata:

... só não percebe e não vê quem não quer ver…

vp

Anónimo disse...

“A Igreja institucional não representa Jesus Cristo. Está nos antípodas de Jesus Cristo.” (Padre Martins Júnior)..

Bom, antes de partir, queria apenas dizer que ao ler agora com mais cuidado o tema da entrevista aqui partilhado hoje, resta-me a pacificação de saber que afinal no post anterior, logo no inicio do meu 1º comentário, não estava nem estou assim tão longe do que disse este santo homem sobre esse constatar da “instituição”… afinal não sou um solitário no deserto a dizer o mesmo… mas caminhemos com coragem e esperança que as coisas mudem... e a Misericórdia de Deus será sempre maior que a dos homens...

vp

Anónimo disse...

Claro... vp é o esteio e o fio-de-prumo da verdadeira Igreja: Deus no céu e ele na terra.

Anónimo disse...

Meu caro Anónimo, espero que tenha rezado hoje por mim na Eucaristia deste Domingo, pelo menos que eu seja instrumento para que a Igreja feita de gente que caminha, do qual faço parte também e amo mesmo nas suas fragilidades e pecados, seja o reflexo do rosto do Cristo que ali celebramos!

Quanto ao que aqui digo-ecrevo, ele não está muito longe do que muitos outros dizem e testemunham… como este testemunho do Padre Martins… embora ainda esteja tão distante de o viver na totalidade, por isso… nem “esteio” nem “fio-de-prumo”, sou apenas um barro a precisar muito da misericórdia de Deus…

Sabe, que nunca nos falte a coragem de chegar novamente ao pé de Cristo como Pedro, mesmo depois de o continuarmos a trair… Ele, e estou seguro disso, estará sempre de braços estendidos para acolher e abraçar… como aconteceu com aquele filho pródigo.. ainda que continuem a soar por perto as vozes dos “irmãos mais velhos” escandalizados por esse Amor, e que vivem sem fazer muito ruído e se contentem com o alimento que lhes servem à mesa da comunhão!

Bom Domingo para si.

vp

Anónimo disse...

.. embora eu, não o P. Martins, mas eu,

ainda esteja tão distante de o viver na totalidade, por isso… nem “esteio” nem “fio-de-prumo”, sou apenas um barro a precisar muito da misericórdia de Deus…

era o que quis dizer... uma realidade que não nego...

vp

Anónimo disse...

vp. Rezamos em todas as eucarístias por todas as pessoas, inclusive os megalómanos doutrinadores irritados e hiper-sensíveis. Esteja certo disso. Sabe, é que dar como rosto um "vp" é pior do que se assumir como anónimo.

Os dois maiores erros da história de Portugal

António Rendas, reitor da Universidade Nova (de partida) e durante dez anos reitor dos reitores portugueses, diz que "expulsar os judeu...