quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Explica alguma coisa


Pro veritate adversa diligere

Lema que Carlo Maria Martini escolheu ao ser nomeado arcebispo de Milão. Significa algo como "pela verdade, escolher as coisas adversas" (ou contradições, situações desfavoráveis, o que é diferente).

5 comentários:

Anónimo disse...

Jorge; que pensa da febre dos media em chamarem a Maomé de "profeta"?

Fernando d'Costa

Anónimo disse...

Fernando: já pensei o mesmo. Não chamam a Jesus de "Deus", pois não?

Anónimo disse...

Em meu entender é uma consequência da acomodação que os maometanos desejam que façamos da nossa identidade à sua. Nem nos damos conta que chamar a Maomé de profeta é admitir que ele, na realidade, o é, com tudo o que isso implica de negação explícita e total de inúmeras verdades da história e fé cristã.

Américo Mendes

Jorge Pires Ferreira disse...

Fernando, desculpe só agora responder. Não tenho visto nem ouvido notícias na tv ou na rádio. A minha mediação faz-se pelo papel e pela net, pelo que não notei a tal febre (até por isso, imagine, passei ao lado da indignação geral com o governo português).

De qualquer maneira, não vejo significado especial nisso. Se Maomé é alguma coisa, é profeta. Assim dizem os muçulmanos - porque não havemos de dizer nós?

Não creio que estejamos a confessar qualquer coisa ao dizer que é profeta.

Por outro lado, também comentando o que Américo Mendes disse, não me parece que a sua visão esteja correta. "... admitir que ele, na realidade, o é, com tudo o que isso implica".

Reparemos no exemplo Jesus Cristo. Mesmo que não digamos que é o Filho de Deus, "coisa" que somos todos, mesmo os não crentes, ao dizermos Jesus Cristo - e creio que é assim que é conhecido por crentes, ateus, hindus, muçulmanos, etc., estamos a dizer, no fundo, que Jesus é o Cristo, o messias. Um nanocredo.

Mas não me parece que seja legítimo presumir que quem diz Jesus Cristo reconheça de facto a sua messianidade.

O Buda não me ilumina.

Anónimo disse...

Boa tarde Jorge.

ou Maomé é profeta ou não é nada. Mas não vejo nele nenhum sinal de profecia autêntica. Muito menos do Deus que estimo ser verdadeiro. Mas sou da opinião de que alguém é profeta de Alguém e para alguém e se aceitar (e creio que é isto que o Américo diz) que Maomé é profeta, julgo que teria que recusar quase tudo o que na Bíblia é dito de Jesus. Em relação com isto e acerca do que o Jorge diz sobre Jesus Cristo: é precisamente por isso que os muçulmanos não chamam a Jesus nem por "Jesus Cristo", nem por "Jesus", mas apenas pelo nome de "Isa".

Fernando d'Costa

Para quando a primeira cardeal?

É inovação do Papa a nomeação de cardeal de um bispo auxiliar? O Papa Francisco disse no domingo que vai fazer cinco novos cardeais. Um de...