quarta-feira, 4 de julho de 2012

Pio XI e as adulações



Diz-se que Pio XI era bastante alérgico a adulações, elogios e rodriguinhos. Quando se dava conta de que alguém se excedia no "incensário", o que é relativamente comum quando um eclesiástico encontra o seu superior, cortava com aspereza: "Vamos, adiante, não façamos comédia".

5 comentários:

Anónimo disse...

Num exemplar da "Voz Portucalense", o director da Faculdade de Teologia do Porto, escreve (à atenção do "Alma Peregrina"):

"Algumas pessoas perguntarão qual o papel do Diabo nisto tudo. Por nós, diremos que essa estranha figura pouco resolve, tanto entrando em cena como ficando fora. A Escritura testemunha algo como uma inteligência que desempenha o papel de resistir a Deus e de induzir ao mal. Mas é difícil atribuir-lhe uma "personalidade”, pois, neste caso, já seria o bem e não o mal. Mas os nomes que lhe dá (serpente, Satanás, Diabo, Lucifer, etc.) primam pela discrição e não acompanham as convicções realistas de muitos crentes".

Dá que pensar.

Fernando d'Costa

Anónimo disse...

Este Papa bem podia ser seguido nessa atitude.
Vai por aí uma pouca vergonha de bajulações...
Cardeais ao Papa, bispos aos cardeais, sacerdotes e freirinhas aos bispos...

João Silveira disse...

Fernando, ainda está nessa? Porque é que o director da Faculdade de Teologia do Porto há-de saber mais do que os Papas?

Anónimo disse...

O Director da faculade de Teologia do Porto? É um bon vivant que pouco faz na vida. Escreve umas coisitas mas trabalho não é com ele.

Anónimo disse...

Silveira, quem ler o que escreveu até pode pensar que o Papa não é um ser humano. É algum Deus, não?

Os dois maiores erros da história de Portugal

António Rendas, reitor da Universidade Nova (de partida) e durante dez anos reitor dos reitores portugueses, diz que "expulsar os judeu...