sexta-feira, 6 de julho de 2012

O cristianismo torna possíveis os novos começos

Com o anúncio, aparentemente fora de moda, sobre o perdão dos pecados, o cristianismo pretende ser a possibilitação de um novo começo e libertação para o futuro. Enquanto dom de um início qualitativamente novo, constitui, ao mesmo tempo, a força e a coragem para conduzir à novidade não-derivada, a despeito dos poderes estabelecidos. Ele é o futuro dos nossos esforços pelo futuro, vindo corresponder à profunda necessidade e perplexidade da nossa época; constitui a resposta às intenções últimas dos movimentos de contestação, de que somos atualmente testemunhas.


Walter Kasper, "Introdução à fé", pág. 175

Sem comentários:

Lucas 15, a esquerda e a direita

Tem piada o artigo de Inês Teotónio Pereira, "A esquerda que queremos ser", no DN de ontem. "Somos [os da direita] aquele i...