quinta-feira, 14 de junho de 2012

Mais uma do Gaspar


A renovação da fé não pode acontecer, nem através da conservação de uma mentalidade pré-crítica, nem pelo acolhimento acrítico de todos os novos desenvolvimentos. A atualização da fé exige que se ponha em relevo o seu elemento crítico, isto é, a sua dimensão de conversão. Sem a renovação a partir do espírito de oração e da penitência, não é possível uma transformação exterior da Igreja. A tragédia de muitas tentativas atuais de renovação reside em querer uma sem a outra.

Walter Kasper, "Introdução à fé”, Telos, pág. 89

2 comentários:

Anónimo disse...

E lá está o autor deste blog a citar o padre fracassado (e que outro padre teria dois filhos?) que se fazia espampanantemente ver a passear por Roma com uma esvoaçante gravata amarela em cima de uma Vespa vermelha topo de gama? Já não há pachorra.

Jorge Pires Ferreira disse...

Caro anónimo, está a falar do mesmo Walter Kasper que eu? O que eu cito é um cardeal, esteve até há dois anos à frente do ecumenismo católico.

Esclareça ou peça desculpa (sugerir que dê a cara é demasiado, não é?). Não a mim, aos leitores e ao cardeal Gaspar, que de certeza que não lê isto.

Semana dos Seminários

Parece que se dizem agnósticos (ou o mais conhecido deles). Mas a simbologia católica (sim, mais católica do que simplesmente protestante ou...