quinta-feira, 14 de junho de 2012

Bíblia 1 - Top ten dos livros mais lidos



Ler aqui, pelo escritor James Chapman, breves notas sobre cada um destes livros. Note-se que só são contabilizados os livros vendidos. Presumo que se contassem as Bíblias oferecidas a distância do primeiro para o segundo seria maior.


Quantos destes já leu? Só li dois por inteiro. E umas páginas dispersas de mais quatro. Da lista só me interessa ler, completamente, mais um.

3 comentários:

Anónimo disse...

as bibliaS OFERECIDAS PRIMEIRO SÃO COMPRADAS PELO MENOS É ASSIM QUE EU FAÇO QUANDO OFEREÇO UMA MAS SE CONHECER ALGUMA forma de as oferecer sem comprar agradeço que informr no seu blog talvez "eu esteja a ser loiro "mas que seja uma forma que não me obrigue a andar sempre a "confessar-me"

Jorge Pires Ferreira disse...

Obrigado pelo comentário.

O autor original escreveu:

There are a few book titles that have had more copies printed than some of these books, but a vast number of those books were not sold, which of course means that they did not get read.

Será que se referia às Páginas Amarelas? (um livro que, julgo, ninguém compra).

Há muitos livros que são oferecidos.

Claro que para oferecer é preciso alguém comprar - mas o mais correto é dizer pagar. Muitas das sociedades bíblicas oferecem sem comprar, na medida em que elas próprias imprimem / fabricam.

Quer ter bíblias sem as pagar? Escreve a uma sociedade bíblica protestante ou evangélica e verá como é fácil. A versão é que pode não o agradar.

Quanto à cor do seu cabelo, isso é consigo.

Manuel Álvaro disse...

Li seis das obras da lista:

- “O Diário de Anne Frank”: Um livro que deveria ser de leitura obrigatória para todos, sobretudo para os jovens, para que não se perca a perspectiva das coisas.

- “O Código Da Vinci” de Dan Brown: Uma das aquisições de que mais me arrependo de ter feito. Uma história mal contada, valendo-se do velho artifício literário que consiste em contar duas histórias paralelas que se vão alternando entre capítulos, com personagens pouco convincentes e um enredo demasiado forçado. Além de ter a pretensão de contar factos “históricos”.

- “O Alquimista” – de Paulo Coelho: Já o li há uns bons anos, e a impressão que me ficou foi de algo mais ou menos insosso. Já li dele também um livro que consiste numa entrevista que lhe foi feita, e onde ele conta como deixou a seita satânica onde militava quando jovem. Há coisas mais interessantes para ler.

- “O Senhor dos Anéis” (A Trilogia) de Tolkien: Um clássico da fantasia que coloco ao mesmo nível das obras de C.S.Lewis. A eterna luta do bem contra o mal. De leitura obrigatória, no entanto aconselho a que primeiro se leia “O Hobbit” do mesmo autor, e que consiste na história da descoberta do “um anel”.

- “Saga Harry Potter” de J.K.Rowling: Li o primeiro livro da série quase que obrigado por alguns dos meus alunos de música. Depois li compulsivamente os outros seis. Consta de mais uma versão da luta do bem contra o mal, com outra roupagem. Tem personagens interessantes, artifícios literários surpreendentes e histórias dentro de histórias muito bem contadas, Dentro de umas décadas esta série será alvo de estudos e teses de doutoramento e fatalmente será considerada um clássico eterno. Brilhante!

A Bíblia – A Palavra de Deus. Li-a toda uma vez, leio passagens com frequência, não por necessitar da sua leitura, mas por necessitar de alimento espiritual.

Semana dos Seminários

Parece que se dizem agnósticos (ou o mais conhecido deles). Mas a simbologia católica (sim, mais católica do que simplesmente protestante ou...