quarta-feira, 16 de maio de 2012

Antígona, uma editora de espiritualidade



No último dia da Feira do Livro de Lisboa, dizia Luís Oliveira, editor da Antígona, ao jornal "Público", referindo-se aos bons negócios que o certame proporcionou (14 de maio de 2012):
"Isto só prova que as pessoas já não estão a gastar o dinheiro nas mercadorias supérfluas, mas que o estão aguardar para o livro, na procura de uma certa espiritualidade. Isso é bom sinal".
Penso que fica muito bem na boca de quem dirige uma editora que tem no seu catálogo obras como "As Heresias" (de Raoul Vaneigem), "O suicídio, modo de usar" (de Claude Guillon e Yves Le Bonniec), "Deus tem caspa" (de Júlio Henriques) ou  "A Beleza das Armas" (de Robert Bringhurst).

1 comentário:

Rui Almeida disse...

Já para não falar da obra de Tomás da Fonseca q tem vindo a reeditar.

Lucas 15, a esquerda e a direita

Tem piada o artigo de Inês Teotónio Pereira, "A esquerda que queremos ser", no DN de ontem. "Somos [os da direita] aquele i...