segunda-feira, 16 de abril de 2012

Não católicos já são três milhões


No "Correio da Manhã" de hoje. Outra leitura possível: Em Portugal ainda há sete milhões de católicos (a sério?). 1,8 milhões de fiéis ainda vão à missa ao domingo. Outra leitura: Ainda faltam muitos ateus e protestantes para que o catolicismo seja opção em vez de tradição.

7 comentários:

HD disse...

De aplaudir a boa intenção da CEP : não esconder a realidade deste estudo.
Será importante que os resultados em detalhe, sejam do conhecimento das comunidades católicas.
Servirá para reflectir a actual evangelização…
Há questões que ficam em aberto e espero que o estudo dê pistas sobre a realidade:
interior versus litoral,
o meio rural e o meio urbano
e o dado mais importante que todos os outros ( até mais do que o nº de católicos praticantes), qual a representação dos jovens católicos praticantes….
Que sirva no mínimo para reorientar de forma drástica, a falência das estratégias da pastoral juvenil,que correm em muitas dioceses…
HDias

Anónimo disse...

Números... mas não seguimos num doce Mestre que deixava 99 para buscar 1? Não somos uma religião de pessoas e não de números? Por outro lado as nossas igrejas estavam até há bem pouco - e talvez ainda estejam - cheias de falsos-cristãos. talvez agora sejam mais sinceros. Não sei.

Fernando d'Costa

Anónimo disse...

As igrejas continuam cheias de tudo um pouco. Vão lá os falsos cristãos, mas também vão os verdadeiros. Vão os "Fariseus" (para se mostrar) e as "viúvas", que dão tudo o que têm. Normalmente os Fariseus sentam-se nos primeiros bancos, são mencionados nas homilias das missas solenes e até são chamados para fazerem leituras ou para que os pés lhes sejam lavados. Como todos sabemos, a igreja sempre pactuou com o fariseísmo, mas nem por isso, quem tem FÉ, deixou de a ter...

Anónimo disse...

Os maiores fariseus são os padres. As pessoas são muitas vezes maltratadas pela igreja. Os jovens fogem, pudera.

Anónimo disse...

Os maiores fariseus são os padres, os cónegos, os monsenhores, os bispos, os cardeais e o papa. Mas como disse o anónimo 9:30 PM, quem tem fé, não deixa de a ter.

HD disse...

Como em tudo na vida, também na Igreja existem parcelas do Clero, para esquecer.

No entanto fazer juízos generalistas de que TODO o Clero é …fariseu, é conhecer muito pouco da Igreja ou se calhar só uma das fachadas.

Graças a Deus, que existem na Igreja inúmeros bispos, padres, monges, freiras e leigos comprometidos, que são um exemplo de vida e dão um testemunho do Ressuscitado.
São estes pequenos “grãos de mostarda” que nos animam e nos guiam na Fé.
É necessário estar atento aos sinais e aos testemunhos.
Se não se conhece ,que se procure saber em todos os cantos da Igreja.

Quantos trabalham em zonas de missão anos a fio que nenhum de nós aguentaria sequer uma semana?

Quantos trabalham com gente marginalizada e escorraçada, que nós não estaríamos sequer um dia?

Quantos ouvem os que sofrem, visitam os doentes, alimentam os esfomeados, que nós simplesmente fingimos não ver?

Quantos celebram a comunhão e são fermento de Fé e Esperança junto dos jovens, quando nós nem queremos saber das novas gerações?

No fundo são eles que fazem perdurar a Igreja no bom caminho, apesar das dificuldades da jornada actual.

Há muita gente boa por ai ,pois o Espirito Santo não dorme…..
HDias

Anónimo disse...

"pois o Espirito Santo não dorme…" e não escolhe os capacitados. CAPACITA OS ESCOLHIDOS.

Para quando a primeira cardeal?

É inovação do Papa a nomeação de cardeal de um bispo auxiliar? O Papa Francisco disse no domingo que vai fazer cinco novos cardeais. Um de...