terça-feira, 27 de março de 2012

Abismo infinito

Não é por causa das condições específicas da época atual que a fé parece ser uma coisa problemática ou quase impossível; ela significou sempre, mesmo sob formas por vezes menos nítidas e menos visíveis, um salto sobre um abismo infinito, ou seja, sobre o mundo tangível que se impõe ao ser humano: desde sempre,a fé teve uma conotação de ruptura e de salto arriscado, porque representa, em qualquer época, o risco de aceitar como verdadeira realidade e verdadeiro fundamento aquilo que é invisível por natureza.


Jospeh Ratzinger in "Introdução ao Cristianismo" (ed. Princípia), pág. 36


Se assim é, como não se tolerante com a descrença, magnânimo com "os que não pensam como nós"?

Sem comentários:

Os dois maiores erros da história de Portugal

António Rendas, reitor da Universidade Nova (de partida) e durante dez anos reitor dos reitores portugueses, diz que "expulsar os judeu...