sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Morreu o P.e Martina, dos livros de História da Igreja



Morreu o historiador Giacomo Martina. Quem, como eu, estudou história da Igreja pelos quatro volumes de “La Iglesia, de Lutero a nuestros dias” não deve deixar de assinalar o facto.

Martina, jesuíta, morreu no dia 6 de fevereiro, véspera do dia da morte de Pio IX, a quem o historiador dedicou uma obra de três volumes e de quem foi um opositor da beatificação.

Eu nem sabia que Martina ainda era vivo há dias. Ou que publicou 397 títulos. Mas como tenho os seus quatro volumes de História da Igreja sempre à mão, na edição espanhola (ver foto ao fundo), por causa das efemérides que às vezes assinalo por aqui, quero prestar-lhe a minha homenagem.

Cito que o que Andrea Tornielli publicou no “Vatican Insider” (aqui). Um historiador livre, como devem realmente ser os historiadores (e os teólogos). Mais admiro Martina s.j.
"Ele tinha – observou ainda Grazia Lo Parco – um modo totalmente próprio de ensinar a história da Igreja, de buscar as fontes, de escrever com lealdade, sem remorso. Quem vinha de uma formação literária antes que teológica sintonizava com ele sem dificuldade, porque a história é história, sem outros adjetivos tendenciosos. A sua leitura, superando no tempo antigos separações, alargava horizontes, levantava perguntas, dava orientações sóbrias e seguras. Como sábias pinceladas, a história saía esboçada em sínteses inesquecíveis, jamais cansativas". 
E quando ele participava de algum congresso distintamente secular, talvez sobre o Risorgimento, ele brincava lembrando ser o único secular da assembleia. "Ele sempre convidou os seus alunos – conclui Lo Parco – a estarem presentes nos espaços culturais amplos, a não se fecharem em um gueto, a se confrontar, a se deixar interrogar, a se pôr em discussão. A sua lealdade lhe custou caro, mas também lhe abriu muitas portas e muitas consciências. A sua dedicação é uma herança preciosa". 
É significativa a recordação de Andrea Riccardi, fundador da Comunidade de Santo Egídio, professor, historiador e hoje ministro italiano para a Cooperação Internacional e a Integração: "Fiquei profundamente triste com o falecimento do padre Giacomo Martina, esplêndida figura de estudioso e de sacerdote".

Atualizado no dia 11, às 21h.

Sem comentários:

Lucas 15, a esquerda e a direita

Tem piada o artigo de Inês Teotónio Pereira, "A esquerda que queremos ser", no DN de ontem. "Somos [os da direita] aquele i...