quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

É de ir aos azeites


Capa do "i" de hoje. O gráfico estava inspirado para pôr uma garrafa de azeite no lugar de Nossa Senhora. Pessimamente inspirado. É capaz de ofender alguém. Mas o que irrita, em primeiro lugar, é a falta de inteligência numa imagem destas, o mau gosto, a cedência à facilidade.


De resto, Fátima há muito que está nos mundo dos negócios. E o azeite, ao contrário do que o título na primeira página pode dar a entender, não tem nada a ver com os 17,2 milhões de euros de 2005.

4 comentários:

HD disse...

Há Jornalistas...
e"Jornaleiros"
e dentro destes ultimos
uma casta que são os "Abutres"...
subsistem do voyerismo da desgraça,polémica...
O seu lema preferido é" good news is no news"...
Eis o caso.

Anónimo disse...

Não dá para perceber tanto alarido em torno de MAIS um negócio de Fátima... Há quantos anos é Fátima UM NEGÓCIO CHORUDO?

Anónimo disse...

QUE INCOMODADOS ANDAM ALGUMAS ALMINHAS. ATÉ O AZEITE LHES METE AZIA. DEIXEM A GENTE DO SANTUÁRIO TRABALHAR COMO O TEM FEITO ATÉ AQUI. SE ESTA GENTE QUE VEM PARA AQUI ARMADA EM TREINADOR DE BANCADA PONHAM OS PEZINHOS A ANDAR E MOSTREM O QUE VALEM. É UMA VERGONHA. SÓ SABEM BOTAR ABAIXO. A IGREJA ESTÁ NO MUNDO E ACHO ESTA INICIATIVA BONITA. DEIXEM-SE DE LAMECHICES.

Anónimo disse...

22:11
A gente do santuário trabalha e de que maneira! Pudera, aquilo é só lucro, livre de impostos! Assim também eu!

Os dois maiores erros da história de Portugal

António Rendas, reitor da Universidade Nova (de partida) e durante dez anos reitor dos reitores portugueses, diz que "expulsar os judeu...