domingo, 18 de dezembro de 2011

Somos únicos no universo?


Num artigo sobre as quatro eras da astrobiologia (as eras física, química, biológica e cognitiva), o astrofísico brasileiro Marcelo Gleiser afirma, contra certa divulgação científica, que a vida inteligente no universo pode ser rara (até na Terra - acrescento). Vale a pena ler pela simplicidade e concisão dos conhecimentos. Ler tudo aqui.
Sabemos que, em torno de 3,8 bilhões [mil milhões] de anos atrás, a vida surgiu aqui na Terra, composta dos restos de estrelas que explodiram em nossa vizinhança cósmica. Possivelmente, ela surgiu também em outros lugares, tanto antes quanto depois de ter surgido aqui. A quarta era, que chamo de era cognitiva, é bem mais recente, começando há menos de meio milhão de anos na Terra. Pode ter começado um ou dois bilhões de anos antes daqui, mas não muito mais do que isso. A vida demora a evoluir de seres unicelulares a seres multicelulares e, destes, a seres inteligentes, se é que o faz. A diversidade da vida em um planeta depende de sua história. A vida que encontramos aqui só existe aqui. Mesmo se a vida for de fato comum no Cosmo, é pouco provável que a vida inteligente o seja. Deste modo, somos únicos no universo.
Entrevista de Marcelo Gleiser numa recente passagem por Portugal.

1 comentário:

Anónimo disse...

Confirmar isto em:

http://boingboing.net/wp-content/uploads/2011/11/odds_10111_VLY.jpg

Semana dos Seminários

Parece que se dizem agnósticos (ou o mais conhecido deles). Mas a simbologia católica (sim, mais católica do que simplesmente protestante ou...