quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Espaço de liberdade provocadora

A Igreja tem de tornar-se um espaço de uma liberdade provocadora, no qual ousamos lançar ideias, pôr à prova hipóteses, afirmar uma verdade incómoda e impopular, dizer ao Rei que vai nu ou ouvir que nós é que estamos nus.


Timothy Radcliffe na página 266 de "Ser cristão para quê?" (Paulinas)

Sem comentários:

Uma questão de visão, talvez

D. Carlos Azevedo diz que a nomeação de D. António Marto para cardeal tem mais a ver com a visão dele (do nomeado) da Igreja do que com a li...