domingo, 21 de agosto de 2011

Uma identificação que não exclua ninguém

Dizer-se católico é aceitar uma identificaão: kath holon, de acordo com o todo, com a comunhão universal do Reino. É recusar uma identidade baseada na exclusão. Por isso, há um certo paradoxo em compreender ser católico no sentido de não ser, por exemplo, protestante.


Timothy Radcliffe, na pág. 210 de "Ser cristão para quê?" (ed. Paulinas)

Sem comentários:

Uma questão de visão, talvez

D. Carlos Azevedo diz que a nomeação de D. António Marto para cardeal tem mais a ver com a visão dele (do nomeado) da Igreja do que com a li...