segunda-feira, 2 de julho de 2012

O novo prefeito da Congregação que já foi Santa Inquisição e Santo Ofício

Confirma-se que D. Gerhard Ludwig Müller é o novo prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé. A nomeação não aconteceu no dia 29 de junho, mas Marco Tosatti estava certo quanto ao nomeado.

Notícia da Ecclesia aqui.

8 comentários:

Anónimo disse...

Não sei onde está o gosto de sempre se dizer "Congregação que já foi Santa Inquisição e Santo Ofício"...

maria disse...

Vamos lá a ver se o homem vai fazer a função, ou o inverso...

Jorge Pires Ferreira disse...

Caro amigo das 1:33,

não sei onde vê esse meu gosto... Há dias chamei ao novo prefeito "próximo inquisidor" e alertara-me:

Mas chamá-lo de "inquisidor" é perpetuar uma designação que já há muito foi varrida.

E eu até concordei. Mas não falei da "Santa Inquisição", pelo que está a ver algo a mais que eu não vejo.

De qualquer forma, para ser correto, deveria antes ter escrito com mais pompa:

Santa Inquisição Romana e Universal e Sagrada Congregação do Santo Ofício,

que é como vem na Agência Ecclesia. Até fui seletivo.

E não se trata de gosto, mas de história.

Jorge Pires Ferreira disse...

Relendo o seu comentário...

"Não sei onde está o gosto de sempre se dizer "Congregação que já foi Santa Inquisição e Santo Ofício"..."

julgo que está mais a criticar a Agência Ecclesia, para a qual remete o meu texto, do que propriamente o meu título.

Anónimo disse...

Muito bem Jorge!
Tal como nunca é de mais lembrar que o holocausto aconteceu, também nunca é de mais lembrar que na Santa Igreja houve uma nada santa inquisição.

Anónimo disse...

não critico o seu texto propriamente, mas sim que se 'goste' tanto de se ressaltar este antigo título, não só por menção histórica, sejamos honestos, mas sim para ressaltar sempre o absurdo, o escândalo que a inquisição, principalmente na atualidade, proporciona aos que 'gostam' de falar mal da igreja...
sem querer justificar, só acho que isso não precisa ser 'sempre, sempre sempre,' ad nauseam, ressaltado, como se ela continuasse ainda a utilizar de seus meios cruéis e tortura e penas físicas ainda hoje, acrescentado sempre um elemento de exagero e muita indgnação....
isso não corresponde mais a atualidade.. mas, como é a igreja, tolera-se que seja sempre mais escarnecida, até dentro de seus próprios muros...
é uma pena

Jorge Pires Ferreira disse...

Lido o meu título depois do seu comentário, até concordo que possa parecer que se realce "o absurdo, o escândalo que a inquisição, principalmente na atualidade, proporciona aos que 'gostam' de falar mal da igreja..."

Mas não é esse o meu espírito.

Por outro lado, infelizmente, mesmo na atuação recente da Congregação para a Doutrina da Fé, encontram-se casos em que é mais realçada a autoridade do que o debate e o confronto de ideias com os próprios visados. Os meios, quanto a mim, poderiam ser outros, sem negar que tal organismo tem uma função necessária.

Anónimo disse...

eu entendo Jorge, sei que não é esse o seu intuito, mas é que sempre me deparo com essa questão...

Semana dos Seminários

Parece que se dizem agnósticos (ou o mais conhecido deles). Mas a simbologia católica (sim, mais católica do que simplesmente protestante ou...