quinta-feira, 17 de maio de 2012

Até onde chegam os tradicionalistas

Yves Congar observou, com humor, que os tradicionalistas, tão "autênticos", não vão para além do século XIX ou XVIII.

6 comentários:

Anónimo disse...

Cruzei-me hoje, no "2" de um Público dos últimos Domingos, com umas afirmações notáveis de Isabel Moreia, deputada independente do PS e uma das pessoas mais arrogantes e convencidas que já tive a oportunidade de ouvir. Segundo ela, a "não-existência de Deus é evidente" e "é preferível ser ateu do que crente e iludido". Palavras para quê? Mas talvez devêssemos reflectir sobre tais "boutades".

Fernando d'Costa

Jorge Pires Ferreira disse...

Não li essa entrevista. Ou melhor, comecei a ler, passei os olhos por cima e nada me despertou o interesse. Mas se ela diz isso, vou retomar a entrevista. Obrigado.

HD disse...

Isabel Moreira afirma-se ateia…

Em grande parte resultado da “evangelização”, que sofreu nos colégios da Opus Dei que frequentou. (Visão 997 de Abril-Isabel Moreira, a rebelde)

HDias

Anónimo disse...

Bem, essa só tem feito figuras tristes no Parlamento. Ah! E não se esqueça de consultar os dados dos abortos. Um desastre. Mas lá conseguiu os objectivos com o seu amigo Sócrates (o pior primeiro ministro de sempre)

Jorge Pires Ferreira disse...

No pouco que li da sr.a reparei que é filha de Adriano Moreira - um sr. tão sensato... Será rebelde por reação ao pai?

Anónimo disse...

Para uns a culpa é "da Opus Dei", para outros é do pai. A miúda não pode ser parva porque quer? Ou não existe vontade?

Os legionários, os arautos, os sodalícios, os malteses, os imaculados... todos diferentes, todos muito iguais nos lados obscuros, nas trapal...