sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Vem, vamos embora

No "Público" de hoje, o comunista António Vilarigues cita o refrão da canção de Geraldo Vandré:


Vem, vamos embora
Que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora
Não espera acontecer.


Isto cantava-se em algumas igrejas católicas, no final da década de 1970.


2 comentários:

Helena T. valentim disse...

É verdade, sim, António Jorge. Fizeste-me, agora, viajar. Eu não teria mais que 4 ou 5 anos. Na igreja, contrução do final do século XVIII, o altar foi deslocado para o centro, os fiéis dispunham-se em volta, o padre sentava-se com o seu "violão" e cantava-se, na altura da Comunhão, "Eles comem, tudo, eles comem tudo, eles comem tudo e não deixam nada" Imagina!!!
Abraço

Jorge Pires Ferreira disse...

Olá, Helena. Obrigado pelo comentário. Foi um tempo de exageros, pós-concílio, pós-revolução. Mas havia algumas ousadias que hoje acho que fazem falta.
Abraço.
AJ

Para quando a primeira cardeal?

É inovação do Papa a nomeação de cardeal de um bispo auxiliar? O Papa Francisco disse no domingo que vai fazer cinco novos cardeais. Um de...