terça-feira, 13 de setembro de 2011

Manuel Pina e o homossexual que se encontra catolicamente casado



No JN de hoje. Apenas ironia do mais recente prémio Camões? Uma manifestação da incompreensão do que é o sacramento católico do casamento? Um problema real - a casuística dos canonistas?


E se pensarmos que o "homossexual puro" - homem ou mulher - segundo a doutrina católica, desde que queira, pode continuar casado com outro/a de sexo diferente?


A grande questão do sacramento do matrimónio, quando a mim, reside nisto: para a Igreja, o que conta é a vontade, mesmo que contradiga o sentimento. Para as pessoas, a maioria, o que conta é a paixão, mesmo que contradiga a razão. Por vezes a igreja ainda pensa que as pessoas pensam como ela pensa que é. E as pessoas dizem que sim, porque gostam de um casamento com aparato. Daí só surgem desencontros e encenações, que é o que acontece em muitos casamentos realizados na Igreja.

Sem comentários:

Os dois maiores erros da história de Portugal

António Rendas, reitor da Universidade Nova (de partida) e durante dez anos reitor dos reitores portugueses, diz que "expulsar os judeu...