domingo, 7 de agosto de 2011

A dor é real. O medo não.

Um sítio judeu, Chabad.org (quem me dera que houvesse um católico assim), tinha no dia 1 de Agosto a seguinte "dose diária de sabedoria" muito relacionável com o evangelho deste domingo (Mt 14,22-33; ver aqui). Traduzo do inglês:



A dor é real. O medo não.
A dor é real,
porque não estamos no nosso lugar. Nada está no seu lugar.
Chama-se a isso exílio, e por isso há dor.
É essa angústia de estar no lugar errado que nos puxa para cima,
para lá deste lugar.
O medo não é real,
porque onde quer que estejamos, o nosso Deus continua connosco.
A única coisa a temer é a possibilidade de nunca mais sentir a dor.

Sem comentários:

Uma questão de visão, talvez

D. Carlos Azevedo diz que a nomeação de D. António Marto para cardeal tem mais a ver com a visão dele (do nomeado) da Igreja do que com a li...