quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Alfabeto colorido


Marc Chagall, que, como disse Bento XVI ("Os mestres", ed. Paulus), foi um artista que “sempre deu testemunho do encontro entre estética e fé”, escreveu que “os pintores durante séculos banharam o seu pincel naquele alfabeto colorido que era a Bíblia”.

Sem comentários:

Os dois maiores erros da história de Portugal

António Rendas, reitor da Universidade Nova (de partida) e durante dez anos reitor dos reitores portugueses, diz que "expulsar os judeu...